Eu, Daniel Blake

Direção:  Ken Loach. 2017 (lançamento no Brasil)

Sinopse: Após sofrer um ataque cardíaco e ser desaconselhado pelos médicos a retornar ao trabalho, Daniel Blake (Dave Johns) busca receber os benefícios concedidos pelo governo a todos que estão nesta situação. Entretanto, ele esbarra na extrema burocracia instalada pelo governo, amplificada pelo fato dele ser um analfabeto digital. Numa de suas várias idas a departamentos governamentais, ele conhece Katie (Hayley Squires), a mãe solteira de duas crianças, que se mudou recentemente para a cidade e também não possui condições financeiras para se manter. Após defendê-la, Daniel se aproxima de Katie e passa a ajudá-la. O filme tem como proposta denunciar a precarização da classe trabalhadora britânica diante de um Estado burocratizado, mecanizado, insensível – e, no limite, assassino.

SPOTLIGHT – Segredos Revelados

Direção: Tom McCarthy, 2016                                                        

Sinopse: O filme é baseado em uma história real – que deu origem ao livro, vencedor do Pulitzer –, escrito pelo mesmo grupo de jornalistas que participou da apuração do caso. Aos poucos, a equipe editorial da publicação vai descobrindo uma série de relatos de pedofilia praticados por membros da Igreja Católica na cidade de Boston – todos, claro, devidamente acobertados. Ao posicionar o espectador dentro da redação – e, principalmente, na rua, acompanhando a apuração e descobrindo os fatos ao lado dos jornalistas –, o filme não diz apenas da maneira como o jornalismo é feito (ou, pelo menos, deveria), mas da motivação profissional que justifica a denúncia da hipocrisia de uma parte da Igreja, da burocracia imposta pelos poderosos e, principalmente, do abuso decorrente da fragilidade socioeconômica dos mais desfavorecidos.

Identidades e Territórios

Programa+Direitos+Humanos: 11º  episódio. Exibido pela TV Brasil em 26/11/2014

Sinopse:  Este programa apresenta os grupos de Porto Alegre Frente Quilombola RSe Coletivo Negração e o

Corposinalizante de São Paulo. Os primeiros lutam por igualdade racial e tratam dos direitos dos quilombos. Já o grupo de surdos Corposinalizante atua nos Direitos de Pessoas com Deficiência.

HIV, e daí?

Sala de Notícias. Canal Futura. 2013

Sinopse: Estudar, trabalhar, amar, lutar por direitos, fazer planos para o futuro. Mesmo com todas as barreiras impostas pelo HIV, dois jovens soropositivos, Ozzy e Micaela, mostram que é possível ter uma vida normal e muito mais. Ambos atuam em causas relacionadas ao HIV como uma forma de se aproximarem de pessoas que vivenciam as mesmas questões, o que os tornou jovens referências no assunto.