Educação em Direitos Humanos

Projeto Respeitar é Preciso!.  Instituto Vladimir Herzog, 2015

O Projeto Respeitar é Preciso!,  realizado pela SMDHC e pelo Instituto Vladimir Herzog (Vlado Educação) foi construído de modo participativo na Rede Municipal de Educação de São Paulo, com base em vários ciclos de formação, debate e amadurecimento do material pelos profissionais da educação.  O material pedagógico tem como o propósito a disseminação da educação em Direitos Humanos e da cultura do respeito no cotidiano das Unidades Educacionais da cidade.  Aqui

Respeito e Humilhação

Projeto Respeitar é Preciso!  Instituto Vladimir Herzog. 2015.

Sinopse: Respeito e humilhação, caderno temático, que faz parte do conjunto de publicações do Projeto Respeitar é Preciso, do Instituto Vladimir Herzog, busca compartilhar orientações, subsídios e sugestões para implementar a cultura de Educação em Direitos Humanos nas escolas.    Aqui

História em quadrinhos – Projeto Saúde e Prevenção nas Escolas

História em quadrinhos – Projeto Saúde e Prevenção nas Escolas 2010

Este material surgiu no âmbito do Projeto Saúde e Prevenção nas Escolas (SPE), uma iniciativa do Ministério da Saúde e do Ministério da Educação em parceria com a UNESCO, UNICEF e UNFPA. Dirigido a adolescentes e jovens, o objetivo principal do projeto é desenvolver estratégias de promoção dos direitos sexuais e direitos reprodutivos, promoção da saúde, prevenção das doenças sexualmente transmissíveis, do HIV e da AIDS, e a educação sobre álcool e outras drogas por meio de ações articulas no âmbito das escolas e das unidades básicas de saúde. A série HQ SPE compreende 6 volumes de histórias em quadrinhos, 1 guia para professores utilizarem as histórias em sala de aula e um CD-ROM.

HQ SPE: guia para utilização em sala de aula

HQ SPE n. 1: Perguntas e respostas

HQ SPE n. 2: Todas as Claudinhas do mundo e mais: DS… o quê?

HQ SPE n. 3: A Vida como está e as coisas como são e mais: vamos conversar?

HQ SPE n. 4: Ficar ou não ficar? Partes 1 e 2

HQ SPE n. 5: Balada

HQ SPE n. 6

15 mulheres brasileiras que deveríamos ter conhecido na escola

Site As Mina na História

Sinopse: Quantas mulheres brasileiras você se lembra de ter conhecido na escola? O site As mina da história, tem por objetivo resgatar a memória e o trabalho de mulheres que transformaram o Brasil e o mundo, mas ainda assim acabaram apagadas na História.   Aqui

Educação para a cidadania global – preparando alunos para os desafios do século XXI

Brasilia, UNESCO, 2015.

Sinopse: A ECG é um marco paradigmático que sintetiza o modo como a educação pode desenvolver conhecimentos, habilidades, valores e atitudes de que os alunos precisam para assegurar um mundo mais justo, pacífico, tolerante, inclusivo, seguro e sustentável. Ela aplica uma abordagem multifacetada e utiliza conceitos, metodologias e teorias já implementadas em diferentes campos e temas, incluindo EDH, educação para a paz, EDS e educação para o entendimento internacional. Como tal, visa a avançar suas agendas superpostas, que compartilham um objetivo comum de fomentar um mundo mais justo, pacífico e sustentável.

Aqui

Modelo Pedagógico para La Educación em Derechos Humanos

Defensoría del Pueblo, Bogotá, D.C., Colombia – 2014. Gustavo Castillo(Editor).

En ESPAÑOL
Sinopse: Este documento compreende el estudio de un conjunto de aspectos que tienen que ver con una aproximación a la educación en derechos humanos, sus antecedentes y susoporte jurídico y político. Señala las perspectivas sobre el tema em nuestro contexto, su justificación, las diferentes corrientes pedagógicas, los esfuerzos realizados y traza algunas recomendaciones y programas al respecto.

UNIDAD 1: Fundamentos y aspectos generales   Aqui

UNIDAD 2: Estrategias y herramientas pedagógicas   Aqui

UNIDAD 3: Modelo pedagógico institucional   Aqui

UNIDAD 4: Construcción curricular y contenidos   Aqui

Chutando pedrinhas

Instituto Promundo. 2014

Sinopse: “Chutando Pedrinhas” trata da relação das filhas com seus pais, homens, e todos os obstáculos às brincadeiras e sonhos que mulheres podem enfrentar em sua infância. Por outro lado, para os pais, também socializados a partir de normas de gênero, não é simples fazer diferente na educação de suas crianças. Muitos pais não sabem como educar meninas de uma forma mais igualitária em relação aos meninos, acolhendo e estimulando os sonhos de cada um/uma, independente de seu gênero. Acreditamos que a maneira como pais educam suas filhas é fundamental para a construção de uma sociedade mais justa para homens e mulheres.  Aqui