Gosto de África – Histórias de Lá e Daqui

Autor: Joel Rufino dos Santos. Editora Global, 2009

Sinopse: Histórias daqui e da África, contando mitos, lendas e tradições da cultura negra, através de sete histórias – “As Pérolas de Cadija”, “O Filho de Luísa”, “A Sagrada Família”, “O Leão de Mali”, “Bonsucesso dos Pretos”, “Bumba meu Boi” e “A Casa da Flor”. Com um olhar crítico e afetuoso, fala também de personagens da História do Brasil e de um tempo de escravidão, luta e liberdade, nos ajudando a compreender melhor nossa cultura.

Meus contos africanos

Autor: Nelson Mandela. Editora Martins Fontes, 2009

Sinopse: Nas palavras de Nelson Mandela, que assina o prefácio do livro, “esta compilação oferece um punhado de histórias queridas, levemente enriquecidas com a corajosa essência da África, mas em muitas ocasiões universal em seu retrato de humanidade, criaturas e mistérios.”. Os 32 contos que compõem o livro foram selecionados pelo líder africano e expressam a diversidade cultural desse rico continente. Um mapa apresentado nas páginas iniciais mostra a origem de cada história — da Argélia ao Zimbábue. As narrativas, herdadas de povos antigos, como san e khoi, são recontadas por diferentes autores e ilustradas por vários artistas, compondo um mosaico de cores, paisagens e personagens. Estão presentes temas como a generosidade humana, os ritos de passagem e a astúcia atribuída a alguns animais.

O̗mo̗-oba: histórias de princesas

Autor: Kiusam de Oliveira. Editora Mazza, 2009 

Sinopse: Omo-Oba – Histórias de Princesas reconta mitos africanos, divulgados nas comunidades de tradição ketu, pouco conhecidos pelo público em geral e que reforçam os diferentes modos de ser femininos. Dividido em seis mitos, relata as histórias de Oiá, Oxum, Iemanjá, Olocum, Ajê Xalugá e Oduduá.

Meu Amigo Jim

Autor: Kitty Crowther. 2007

Sinopse: Jim é uma gaivota. Jack é um melro. Jim vive perto do mar. Jack mora no bosque. Jack adora ler. Jim usa folhas de livros para acender a lareira. Jack é negro. Jim é branco. Apesar de tantas diferenças, os dois pássaros têm algo em comum: gostam de estar juntos. Por meio de uma história leve, a autora trata com naturalidade e sensibilidade as diferenças com que nos deparamos em nosso dia-a-dia, e introduz a questão da homossexualidade e questões como o preconceito racial e o hábito da leitura.

Diferentes e Desiguais? Oficinas pedagógicas sobre preconceito e direitos humanos

Autores: Andrade, Marcelo e Lucinda, Maria da Consolação. NOVAMERICA, 2007.

Sinopse: Este material busca facilitar a organização e a realização de encontros de reflexão, debate e compromisso com ações que visem superar atitudes, comportamentos e valores considerados preconceituosos e discriminatórios. São quatro oficinas pedagógicas que abordam diferentes aspectos sobre preconceito, discriminação e direitos humanos e orientam o trabalho de educadores/as, através da elaboração de roteiros, textos de aprofundamento e materiais de apoio. Esta publicação encontra-se disponível para compra na Novamerica.

Conviva com a Diferença! Diga não à Discriminação!

Autoras: Candau, Vera Maria e Sacavino, Susana Beatriz (Coord.). NOVAMERICA, 2006.

Oficinas Pedagógicas para crianças

Sinopse: Este material, através de histórias, jogos e atividades lúdicas favorece a reflexão, desde os primeiros anos de escolaridade, sobre a situação de preconceito e discriminação na escola e na sociedade. Acreditamos que questões difíceis e delicadas como estas exigem um preparo por parte dos professores/as tanto do ponto de vista teórico quanto afetivo, de modo que possamos caminhar com segurança, junto com as crianças, na construção de uma sociedade mais justa e solidária, onde os direitos humanos sejam respeitados. Esta publicação encontra-se disponível para compra na Novamerica.

Histórias de Ananse

Autora: Adwoa Badoe. Editora SM, 2006

Sinopse: Bem-humoradas e repletas de ensinamentos, as histórias de Ananse, transmitidas oralmente e muito populares em Gana, falam de costumes, tradição, ética e respeito, mantendo-se vivas na memória do povo há muito tempo. Ananse é uma aranha que se comporta como gente. Às vezes ele se dá bem, às vezes arranja confusão. A maioria das narrativas deste livro, a autora ouviu durante a infância e a mocidade. Mais tarde, registrou-as por escrito ao seu modo e conforme se lembrou delas, contando com a ajuda de outros ganenses. Guia para o/a professor/a – Aqui

A Semente que veio da África

Autora: Heloisa Pires Lima. Editora Salamandra, 2005

Sinopse: Este livro reúne três lendas sobre o baobá, considerada na África ‘a arvore da palavra’, ela é uma e ao mesmo tempo, muitas, pois existe em todo o continente, recebendo nomes diferentes de país para país. De beleza rara, tamanho descomunal, ela se tornou um símbolo da África, em sua luta para manter a integridade cultural de seus povos.

Chuva de Manga

Autor: James Rumford. Editora Brinque-Book, 2005

Sinopse: Este é um conto sobre uma chuva leve, uma mangueira em flor e o poder da imaginação. É narrado em ricas palavras e cores, que o transportarão a uma pequena aldeia localizada no Chade, um país africano. Lá você vai sentir o calor, saborear a refrescante chuva de manga e conhecer um rapaz chamado Tomás. Ele, como toda a sua comunidade, aguarda a chuva que florescerá a mangueira. Há outro florescimento que acontece com a queda da chuva: o da imaginação de Tomás, que passa a recolher materiais para construir um carrinho de mão. Quando as mangas estão quase maduras, Tomás pede a ajuda ao pai para fabricar o brinquedo. Quando é o tempo da colheita, é o tempo de Tomás brincar.

As tranças de Bintou

Autora: Sylviane A. Diouf. Editora Cosac Naify, 2004

Sinopse: Bintou é uma garotinha que tem dois sonhos: que os passarinhos façam ninhos em sua cabeça e que seus quatro coques sejam transformados em tranças com conchinhas e pedras coloridas. Na sua comunidade, apenas as moças e mulheres podem usar tranças – que expressam a beleza do feminino. Além disso, os mais velhos são muito importantes na transmissão das histórias e na realização dos rituais. As ilustrações, com cores vívidas, desenham para o leitor, a partir do olhar observador de Bintou, a comunidade e seus costumes, os anseios do mundo animado da pequena e o modo afetuoso como os grandes acolhem-na.